Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
Homicídios têm queda de 15,3% em fevereiro no RS
16/03/2022 10:51 em Região

Crimes contra o patrimônio, como roubo de veículo, estão no menor patamar já registrado. Latrocínios e feminicídios tiveram alta

 

O segundo mês de 2022 manteve na maioria dos indicadores criminais monitorados pela Secretaria da Segurança Pública (SSP) a tendência de redução vista nos últimos três anos. Naquele que é considerado internacionalmente a principal métrica de violência, os homicídios, fevereiro encerrou com queda de 15,3% em relação ao mesmo mês de 2021, passando de 144 vítimas para 122, o menor total para o mês desde 2006. É o que mostra o balanço mensal divulgado pela SSP nesta terça-feira (15/3).

O destaque na queda de assassinatos em fevereiro foi o município de São Leopoldo, no Vale do Rio dos Sinos. Com 240.378 habitantes conforme a mais recente estimativa do IBGE, sendo a nona maior população entre os 497 municípios do Rio Grande do Sul, a cidade terminou o mês de fevereiro sem homicídios. É a primeira vez desde 2012, quando o número de vítimas desse tipo de crime passou a ser contabilizado individualmente, que São Leopoldo fecha fevereiro sem assassinatos – em 2017, a cidade chegou a pico de 16 assassinatos no período de 28 dias. E mais: neste ano, a cidade também não registrou no mês nenhum latrocínio ou feminicídio.

"À Polícia Civil cabe a apuração de autoria e materialidade dos crimes. E é essa investigação qualificada que tem contribuído sobremaneira para a redução dos indicadores criminais, a partir da robustez das provas apresentadas ao Sistema de Justiça Criminal e da manutenção dos criminosos mais violentos no sistema carcerário. Em São Leopoldo, em toda a linha histórica, nunca se viu tamanha queda nos indicadores criminais, notadamente homicídios. Estamos há quase 50 dias sem um homicídio sequer no município. Isso é produto do trabalho integrado, base do RS Seguro, e também do bom desempenho de cada instituição no seu papel", afirmou o delegado Eduardo Hartz, titular da 3ª Delegacia de Polícia Regional Metropolitana (3ª DPRM).

"O trabalho de inteligência desenvolvido pela BM, subsidiando as operações que ocorrem de forma diária, são superimportantes para que tenhamos alcançados esses índices históricos. Sabemos a dinâmica de atuação dos indíviduos e, dessa forma, a partir da integração e das ferramentas da GESeg, tivemos mais de 3,8 mil pessoas abordadas, 91 presos e 12 foragidos recapturados em fevereiro. Isso explica bastante essa queda histórica no índices criminais. A partir dos mapas de gerenciamento ao nosso alcance, em comunhão de esforços, em especial com a Polícia Civil, conseguimos entregar para a população esse trabalho qualificado de repressão e prevenção", acrescentou o major Alexsandro do Nascimento Goi, comandante do 25º Batalhão de Polícia Militar (25º BPM) de São Leopoldo.

 

Crimes contra patrimônio no menor patamar das séries históricas

Apesar de terem uma série de características e peculiaridades diferentes, os principais crimes contra o patrimônio se encontram em um ponto comum no Rio Grande do Sul: tanto no resultado de fevereiro quanto no acumulado do 1º bimestre, todos registraram queda na comparação com igual período do ano passado e estão nos menores patamares já registrados em suas séries históricas.

As maiores retrações em fevereiro frente igual mês de 2021 ocorreram nos ataques a banco e nos roubos a transporte coletivo, com quedas de 60%. Houve dois furtos e nenhum roubo a banco no Estado contra cinco ocorrências do ano passado (somados furtos e roubos). As ações contra motoristas e passageiros de ônibus e lotações baixaram de 98 para 39. Em relação ao pico de 2016, que teve 551 registros em fevereiro, o total atual de roubos a transporte coletivo representa diminuição de 92,9%.

 

Informações: SSP/RS

COMENTÁRIOS